UTI Covid-19 do Hospital Regional de Rondonópolis, “muito além do profissional”

Tempo de leitura: 3 minutos

Calor humano sempre fez bem, e no tratamento contra a Covid-19 não é diferente. Isso é o que relata Luzinete Souza Reis, moradora de Paranatinga (MT), filha de Helena de Souza Reis, de 57 anos, que foi hospitalizada na UTI AMH Especialidades, no Hospital Regional de Rondonópolis Irmã Elza Giovanela, para se tratar da doença.

Luzinete conta um pouco da história que ela e a família viveram, em cerca de dez dias de muita aflição por conta do estado de saúde de sua mãe:

Quando a gente soube que minha mãe ia pra UTI, ficamos muito preocupados. Mas o fato é que ela foi muito bem tratada, por uma equipe maravilhosa. Foram quatro dias de UTI, mas sem intubação. Ela foi muito bem acolhida, e hoje fala muito bem da equipe, pois são todos muito prestativos. Uma experiência hospitalar muito positiva, apesar do medo, da preocupação.”

A filha de Helena Reis relata ainda que havia vários fatores que ampliavam os riscos à saúde da mãe. Mas que a atuação da equipe da Unidade de Terapia Intensiva foi de fundamental importância no tratamento. Ela pontua as comormidades que poderiam agravar o quadro de Helena:

Minha mãe é hipertensa, diabética, obesa, cardiopata, tem colesterol alto e pressão descontrolada. Cheguei a ouvir que o quadro dela era algo irreversível. Foram dias de angústia, mas eu confiava em Deus. Olhando ao redor, foi Deus cuidou da minha mãe em todos os detalhes, e até mesmo a equipe que ele colocou para cuidar dela foi especial.”

Entre os cuidados apontados por Luzinete, figura como destaque a maneira humana como a mãe foi tratada durante o período em que permaneceu hospitalizada na UTI AMH Especialidades, no Hospital Regional de Rondonópolis Irmã Elza Giovanela.

Era bem nítida a atuação da equipe para além do profissional. Eles chamavam minha mãe de ‘minha linda, minha princesa’, sempre valorizando-a muito! A gente ligava, eles levavam em conta nossa preocupação, demonstravam sempre carinho.”

Dona Helena não foi a única contaminada pela Covid-19 na casa dela. A própria filha Luzinete teve a doença por duas vezes, conforme ela mesma relatou. O irmão e a irmã dela, que é servidora da Saúde de Paranatinga, também foram infectados pelo coronavírus. O pai, Deli Rosa de Jesus, 78 anos, aposentado e marido de Helena, também foi contaminado, e chegou a ser internado. Ele também passou pelo mesmo hospital, mas sem necessidade de UTI.

Por fim, Luzinete deixa um recado aos profissionais da UTI do Hospital Regional de Rondonópolis:

Meu muito obrigado, só Deus para recompensar a todos pelo carinho. Trabalharam como seres humanos, cuidaram da minha mãe como se fosse da família deles, sempre prestando informações, falando a verdade. Um detalhe era a clareza com que falavam, não usavam termos técnicos, falavam de forma que toda pessoa entenderia, com simplicidade. Essa equipe trabalha com o coração. Quero agradecer primeiramente a Deus por ter colocado minha mãe naquele local, bem como a todos dali.”

A AMH Especialidades manifesta gratidão a dona Helena de Souza Reis, à filha Luzinete Souza Reis e a toda a família pela confiança que depositaram nos nossos serviços e nos nossos profissionais. Sabemos o quanto cada vida é importante, pois não se tratam de números, mas de seres humanos. Nossas congratulações a todos os colaboradores pelos excelentes trabalhos prestados.

Manifestamos ainda nossa solidariedade com cada pessoa que teve uma perda em família para essa terrível doença. Esperamos que, o quanto antes, todo o mundo possa se dizer livre da pandemia do novo coronavírus.

Em todo o Brasil, já foram aplicadas 68,9 milhões de doses das vacinas disponíveis para a profilaxia. Já há no País 22,4 milhões de pessoas totalmente vacinadas. Isso significa 10,6% da população totalmente vacinada (dados de 3/6/2021).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *